Cartilhas

Dietas

ALEITAMENTO MATERNO

ALEITAMENTO MATERNO

O leite materno é o melhor e o mais indicado alimento para o bebê. É um processo fisiológico, natural e precisa ser aprendido. Confira nessa cartilha informações sobre o aleitamento materno

 

PORQUÊ AMAMENTAR?

  • Fácil digestão, nutritivo, higiênico e prático
  • Diminui a ocorrência de diarréias, desidratação e desnutrição
  • Melhora o desenvolvimento intelectual do bebê.
  • Possui anticorpos que protegem o bebê.
  • Econômico para família
  • Estabelece uma ligação emocional entre a mãe e o bebê.
  • Evita que o leite acumule e empedre a mama
  • Diminui o sangramento pós-parto

 

 

ATÉ QUANDO AMAMENTAR?

0 a 6 meses: leite materno como único alimento.

6 meses a 2 anos: continue o aleitamento materno e introduza gradativamente os outros alimentos;

 

 

COMO MANTER A PRODUÇÃO DO LEITE

  • O bebê determina quando quer mamar e quanto tempo quer mamar.
  • Mantenha-se tranquila, ansiedade e nervosismo atrapalham a produção do leite;
  • Amamente o bebê antes de sair de casa para trabalhar e imediatamente ao regressar;
  • Nos horários em que estiver ausente, quem cuida do bebê deverá oferecer o leite materno anteriormente retirado com colher, copo ou xícara. Evite o uso de mamadeiras;
  • Aproveite para descansar enquanto o bebê dorme;
  • Mantenha uma boa alimentação.

 

COMO RETIRAR O LEITE

  • Lave as mãos com água e sabão. Deve estar com as mãos bem;
  • Se estiver resfriada, use uma fralda como máscara na boca e no nariz;
  • Fique numa posição confortável e segure o recipiente com uma das mãos;
  • Coloque os dedos em forma de pinça, com o polegar por cima do mamilo e aréola e o indicador opostamente por baixo, segurando a mama com os restantes dedos da mesma mão.
  • Em seguida, pressione a aréola em direção ao tórax e também entre o polegar e o indicador. É preciso apertar por trás do mamilo para pressionar as bolsas de leite abaixo da aréola;
  • Continue pressionando e soltando repetidas vezes, até o leite sair, depois de pressionar algumas vezes começa a pingar e a velocidade do gotejamento dependerá do reflexo de ejeção da mãe;
  • Pressione também as laterais da aréola para que o leite seja retirado de todos os segmentos que contêm os ductos lactíferos;
  • Retire o leite de mama até que diminua o fluxo. Em seguida passe para a outra mama. Massageie a mama antes de retirar o leite. Repetir novamente a operação, alternando as mamas, até sentir que as mamas estão bem vazias;
  • A retirada adequada do leite pode demorar de vinte a trinta minutos, especialmente nos primeiros dias, quando a produção é pequena;

 

COMO PREPARAR O FRASCO PARA COLETAR LEITE

  • Escolha vidros com tampas de plástico e lave-os bem, com escovinha ;
  • Retire o protetor de papelão de dentro da tampa, caso tenha;
  • Ferva a tampa e o vidro.
  • Retire da panela com um pegador. Cuidado para não colocar a mão dentro do frasco ou da tampa;
  • Estenda um pano bem limpo em cima da pia. Coloque o vidro e a tampa virados para baixo e deixe secar naturalmente;
  • Depois de seco, o vidro estará pronto para armazenar o leite coletado;

 

 

COMO ARMAZENAR O LEITE

  • Na geladeira o leite se conserva por 24 horas.
  • Não complete todo o frasco com o leite, deixe dois dedos de ar antes da rosca para que não estoure ao congelar.
  • Feche bem o frasco para colocá-lo no congelador;
  • Coloque etiqueta com data e horário em que o leite foi retirado.
  • No congelador ou freezer o leite se conserva por 15 dias.

 

COMO DESCONGELAR

  • O leite deve ser descongelado lentamente, em banho-maria;
  • Não descongele o leite em microondas.

 

TRANSPORTE DE LEITE MATERNO

  • Se estiver congelado, transporte em caixa térmica;
  • Utilize gelo comum ou artificial para manter a temperatura.

 

COMO AMAMENTAR

  • Verifique se a aréola (parte mais escura da mama) está macia, caso contrário, se ela estiver esticada e brilhante, retire o excesso de leite com as próprias mãos até que a aréola amoleça;
  • Escolha uma posição confortável, de preferência sentada. Apóie bem as costas e os pés. Use um suporte (banquinho) para manter as pernas elevadas, ou coloque um travesseiro sobre as coxas para apoiar o bebê;
  • A boca do bebê deve ficar em frente ao mamilo e o queixo tocando a mama. Passe o mamilo nos lábios do bebê. Quando ele abrir bem a boca, traga-o ao encontro do peito para abocanhar grande parte da aréola. Se necessitar apoiar a mama, faça-o segurando o peito com os dedos em forma de “C”.
  • Espere esvaziar um lado para depois oferecer o outro, às vezes, o bebê se satisfaz mamando em apenas um dos lados.
  • É bom que ele solte o peito espontaneamente. Se não o fizer, coloque a ponta do dedo mínimo no canto da boca do bebê, para que ele solte o mamilo;
  • Após a mamada, coloque o bebê em pé, com a cabeça apoiada no seu ombro, para arrotar. Também poderá ficar sentado no colo. Nem sempre ele arrota após as mamadas.

 

 

DICAS PARA SABER SE O BEBÊ ESTÁ SE ALIMENTANDO BEM

  • O bebê deve mamar pelo menos oito vezes por dia.
  • O bebê deve urinar de seis a oito vezes por dia
  • O bebê deve ter sono tranquilo, o que significa que está bem hidratado e alimentado;
  • O bebê pode evacuar várias vezes por dia ou passar alguns dias sem evacuar, sem que isto signifique anormalidade.

 

COMO SE ALIMENTAR NO PERÍODO DA AMAMENTAÇÃO

  • A alimentação deve ser variada e balanceada.
  • Evite consumir em excesso: alimentos gordurosos, doces, temperos e condimentos industrializados;
  • Prefira carnes magras, cozidas, assadas ou grelhadas. Retire a pele da carne de frango e procure variar as verduras, legumes, frutas e cereais;
  • Beba bastante líquidos, principalmente água e sucos naturais
  • Não ingira bebidas alcoólicas.

 

DÚVIDAS MAIS FREQUENTES SOBRE AMAMENTAÇÃO

  • Não causa flacidez nos seios. A causa de uma eventual flacidez é o aumento do volume das mamas durante a gestação.
  • O primeiro leite produzido é chamado colostro. É espesso, amarelado, rico em proteínas, em gordura e, principalmente, em anticorpos.
  • Não tome nenhum medicamento sem orientação médica. Lembre-se, as substâncias ingeridas podem ser excretadas pelo leite.
  • Não é necessário oferecer água ou chás, pois o leite já contém a quantidade de água que o bebê precisa até os seis meses.
  • Não amamente outro bebê, nem deixe seu bebê mamar em outra mulher, sem indicação médica.
  • O choro é uma forma de comunicação do bebê que nem sempre significa fome, ele pode chorar por desconforto;
  • As rachaduras do mamilo não devem impedir a amamentação. Elas acontecem quando o bebê abocanha somente o bico e não a aréola. Procure corrigir a posição do bebê. Para fortalecer a pele, tome banho de sol durante dez minutos, no período das 8 às 10 horas da manhã ou no final da tarde;
  • Não se preocupe se o bebê arrotar no peito, se sair sangue do bico ou se ocorrer outra situação inesperada. É importante não interromper o aleitamento e comunicar o seu médico;

 

PLANEJAMENTO FAMILIAR

Apesar do grande progresso ao longo das últimas décadas, mais de 120 milhões de mulheres no mundo todo desejam evitar a gravidez, porém, em muitos casos nem ela nem seus parceiros estão fazendo o uso dos métodos contraceptivos, ou não os utilizam de forma correta.

É possível que não tenham recebido instruções claras sobre como utilizar o método adequadamente, que não tenham tido acesso a um método mais apropriado a elas.

O planejamento familiar esta diretamente relacionado a prevenção das doenças sexualmente transmissíveis, pois a maioria das pessoas se preocupam apenas com a reprodução e se esquecem da prevenção das doenças sexualmente transmissíveis.

Então vale lembrar que o único método contraceptivo que previne as DSTs e principalmente a AIDS é a camisinha. Todos os outros métodos previnem apenas a gravidez.

Aqui encontrará informações sobre os principais métodos contraceptivos.

Camisinha

A feminina e a masculina impedem a passagem dos espermatozóides para o útero.

Vantagem → Único método contraceptivo que previne a contaminação para as doenças sexualmente transmissíveis, pratica e barata.

Desvantagem → Falha em caso de colocação inadequada ou falta de acondicionamento.

Anticoncepcional hormonal combinado oral

São pílulas compostas por hormônios semelhantes aos produzidos no corpo da mulher, devem ser tomados diariamente, com ou sem intervalo entre as cartelas. Os hormônios inibem a ovulação e tornam o muco cervical mais espesso dificultando a passagem dos espermatozóides.

Vantagens → auxilia no controle da acne e da oleosidade da pele; reduz a incidência de câncer de ovário, reduz a cólica menstrual, auxilia no tratamento da TPM.

Desvantagens → podem apresentar efeitos colaterais como: Aumento do risco de trombose venosa e doenças cardiovasculares em fumantes acima de 35 anos, entre outros.

Anticoncepcional hormonal injetável

São compostos por hormônios semelhantes aos produzidos no corpo da mulher que devem ser aplicados via intramuscular. Inibe a ovulação e altera o muco cervical. Pode ser utilizado mensal ou semestral.

Vantagens → auxiliam aquelas pessoas que esquecem da medicação.

Desvantagens → pode causar irregularidade menstrual.                    

Implante Hormonal

Micro bastão de progesterona colocado no subcutâneo do antebraço através de aplicador descartável. Inibe a ovulação e altera o muco cervical.                                                                                        

Anel vaginal

Anel flexível de superfície lisa deve ser inserido na vagina onde permanecerá por três semanas. O anel contém hormônios que são absorvidos via mucosa vaginal. Inibe a ovulação e altera o muco cervical.

Adesivo anticoncepcional

Adesivo colocado na pele, composto por hormônios. Deve ser aderido na pele no primeiro dia da menstruação e permanecer por sete dias durante três semanas consecutivos. Inibe a ovulação e altera o muco cervical.

Vantagens → menos efeitos colaterais.

Desvantagens → pode causar alergia de contato.

Endoceptivo – mirena ®

Sistema intra uterino, com reservatório de hormônios. Inibe a ovulação e altera o muco cervical.

Vantagens → longo tempo de validade, diminui o ciclo menstrual e as cólicas.

Desvantagens → em casos isolados pode ocorrer expulsão, irregularidade menstrual.

Pílula emergencial

Deve ser utilizada até 72 horas após a relação sexual. Inibe a ovulação, fertilização e a implantação do óvulo no útero. Não pode ser utilizada de forma habitual, devido grande quantidade de hormônios.

DIU – Dispositivo intra uterino

É um aparelho de plástico especial, revestido de cobre, inserido no útero. Impede a passagem dos espermatozóides para as tubas uterinas, altera o muco cervical e a cavidade endometrial por sais de cobre.

Vantagens → Longo tempo de validade, método não hormonal e disponível pelo convênio.

Desvantagens → pode aumentar o fluxo menstrual e as cólicas, em casos isolados pode ocorrer expulsão.

Coito interrompido

É quando o homem retira o pênis da vagina antes da ejaculação. Este método evita que os espermatozóides entrem na vagina, porém, é um método pouco eficiente, pois as secreções do pênis na fase de excitação podem conter espermatozóides vivos.

Vantagens → gratuito.

Desvantagens → atrapalhar a relação sexual, dificuldade do homem em conter a ejaculação.

Métodos cirúrgicos

A esterilização cirúrgica esta disponível na forma de laqueadura tubarea e vasectomia.

Mais e mais casais no mundo todo decidem por métodos de esterilização voluntária para nunca mais ter filhos.                                                                                        

No entanto, essa é uma decisão difícil e que ninguém deve recorrer a ela como método contraceptivo alternativo.

Muitos casais optam pela esterilização definitiva por achar que não se adaptam aos métodos reversíveis ou por achar que são os mais seguros.

Muitas mulheres e muitos homens se arrependem amargamente da decisão prematura da esterilização definitiva.

As principais causas de arrependimento são:

- A troca de parceiro(a) e o desejo de engravidar desta nova relação.

- Em mulheres de 20 a 29 anos.

- O aumento do fluxo menstrual e das cólicas.

- Quando o parceiro(a) não apresenta total apoio na decisão.

- Morte de filhos após a esterilização definitiva.

Existe uma cirurgia para reverter a laqueadura e a vasectomia, porém é uma cirurgia de difícil execução, cara e com baixo índice de sucesso.

Grande parte dos casais que procuram o tratamento de infertilidade foram submetidos a esterilização definitiva. Se você pretende fazer uma cirurgia dessas, tenha certeza do que vai fazer. E lembre-se: É DEFINITIVO.

A esterilização cirúrgica exige indicação médica e só pode ser realizada conforme os pré-requisitos da lei 9.263 de 1996.

Laqueadura tubárea

A laqueadura tubárea obstrui as tubas uterinas, impedindo a migração dos espermatozóides em direção ao óvulo, fazendo com que não ocorra a fecundação.

Vantagens → não altera na relação ou na função sexual.

Desvantagens → pode ocorrer complicações intra e pós operatórias como: mortalidade, infecções, hematoma de parede, infecção de urina, anemias, reações alérgicas ao anestésico, hemorragias entre outras.

A mulher laqueada pode apresentar complicações tardias, tais como:

- Alterações menstruais

- Problemas emocionais e conjugais

- Risco de desenvolver endometriose

- Aumento do fluxo menstrual.

- Sangramento entre as menstruações, entre outras.

Vasectomia

A vasectomia consiste em uma pequena cirurgia onde é feito bloqueio dos canais deferentes (ductos que levam os espermatozóides produzidos nos testículos até a saída pelo pênis), impedindo a presença de espermatozóides na ejaculação.

Vantagens → cirurgia simples feita sob anestesia local; menos riscos cirúrgicos, sem efeitos colaterais em longo prazo; não interfere na relação sexual e nem no prazer sexual.

Desvantagens → leve mal estar durante 2 a 3 dias após o procedimento, dor, edema ou hematoma local, entre outros.

A escolha do método contraceptivo depende de cada caso. O melhor método contraceptivo é aquele que associa eficácia permitindo o controle das gestações e das doenças sexualmente transmissíveis. É importante a aderência consistente ao uso, participação do casal, em muitos casos uma prévia avaliação médica é essencial.

É importante salientar que nenhum método contraceptivo é 100% eficaz contra a gravidez. Todos possuem uma pequena porcentagem de falhas:                                                                                            

Tabela Comparativa dos métodos

Método                                               Falha

Injetável                                              1 em 1000

DIU                                                     1 em 1000

Endoceptivo mirena ®                        1 em 1000

Implante hormonal                              1 em 1000

Adesivo anticoncepcional                   1 em 100

Anticoncepcional oral                         1 em 100

Vasectomia                                          1 em 700

Laqueadura                                          1 em 200

Camisinha masculina                           1 em 100

Pílula do dia seguinte                           5 em 100

O ato sexual nos permite momentos prazerosos quando vivido com responsabilidade e cuidado; lhe dá a chance de planejar sua família no momento certo da sua vida.