Fique por dentro de

Nossas Notícias

A SAÚDE ÍNTIMA DA MULHER

É de conhecimento geral que a higiene pessoal e ambiental são muito importantes para a manutenção da saúde de qualquer pessoa, mas devido às particularidades anatômicas das mulheres, são exigidos alguns cuidados especiais em relação à higiene íntima para evitar diversos transtornos.

Um primeiro cuidado consiste na atenção dispensada diariamente aos órgãos genitais. Quaisquer alterações, tais como ardor, coceira, mau cheiro e dor, são motivos de preocupação. Mesmo na ausência de sintomas, é aconselhável a observação regular desses órgãos com o auxílio de um espelho. Vermelhidão, inchaço, manchas, ferimentos, verrugas, caroços e corrimentos podem indicar perturbações sérias, que necessitam de avaliação médica.

Com relação a corrimentos, é preciso levar em conta a existência de uma secreção natural, responsável pela lubrificação da vagina, cujo volume – variável de mulher para mulher – aumenta na gestação e durante a excitação sexual e diminui no climatério. Possui cor clara, não tem cheiro desagradável e não provoca coceira nem ardor. Logo após a menstruação, a secreção é pouco abundante e fluida. Na proximidade da ovulação ela se torna viscosa, brilhante e transparente, assemelhando-se à clara do ovo. Essas modificações são normais e decorrem da ação de hormônios ligados ao processo reprodutivo. Alterações dessas características devem ser analisadas pelo ginecologista.

Um segundo cuidado é a manutenção de limpeza adequada dos genitais. Durante o banho diário, a vulva (parte externa da genitália) deverá ser lavada com sabonete neutro e água limpa, abundante e corrente. É preferível o uso de chuveiro, pois águas acumuladas em bacias e bidês facilitam contaminações. Cabe aqui alertar que banhos de assento somente deverão ser feitos se houver recomendação médica.

Após evacuar ou urinar, o papel higiênico deverá ser utilizado da frente para trás, de modo a evitar o transporte de micróbios existentes nas fezes, que podem causar infecções vulvares, vaginais, uretrais e renais.

Outras recomendações

  • Não prenda a urina por muito tempo, urine sempre que sentir vontade;
  • Evite o uso de roupas muito apertadas. Prefira calcinhas de algodão que absorvem melhor a secreção natural e o suor. Roupas úmidas facilitam a proliferação de fungos e bactérias;
  • No período menstrual, o absorvente higiênico deve ser trocado a cada 2 ou 3 horas (tanto o interno quanto o externo);
  • Desodorantes íntimos e perfumes em geral podem causar reações alérgicas, portanto devem ser evitados;
  • Não tome banho em águas poluídas. Cuidado com as praias, lagoas e piscinas de água não tratada;
  • Não mantenha relações vaginais após sexo anal;
  • Submeta-se a exames de prevenção de câncer ginecológico (Papanicolau) com a frequência recomendada pelo médico;
  • Escolha criteriosamente o parceiro sexual e prefira o uso de camisinha, pois inúmeras doenças poderão ser transmitidas, entre elas: AIDS, hepatite, herpes genital, tricomoníase, condilomatose (verrugas genitais), gonorréia, sífilis, cancro, etc;

Por isso, agende sua consulta na Clínica Por Ellas para uma avaliação. Estamos te esperando!

Dra Alessandra Fernandez